Katayama - Benefícios do ovo na gestação

Benefícios do ovo na gestação

20/08/2020

Nutrientes contidos no ovo contribuem para a formação adequada do feto e para a saúde da mãe e do bebê 


Durante a gestação, as células do feto crescem aceleradamente em tamanho e número, exigindo uma fonte constante e crescente de nutrientes. A alta qualidade dos macronutrientes fornecidos pelo ovo pode contribuir, de forma muito efetiva, para otimizar o desenvolvimento saudável do embrião. Além dos macronutrientes (aminoácidos e ácidos graxos), os ovos contêm vários micronutrientes (vitaminas, minerais), como a colina, que são conhecidos por terem efeitos promotores da saúde do cérebro e compostos ativos, atuantes na saúde ocular.


“O consumo de ovos durante a gravidez tem potencial para beneficiar o nascimento, a composição do leite materno, a nutrição infantil e o desenvolvimento do cérebro, além de contribuir para a absorção e metabolização de substâncias ligadas ao desempenho hormonal e imunológico”, afirma Dra. Milena Cornacini, Nutricionista Clínica, Esportiva e Ortomolecular, Mestre e Doutora em Nutrição e Consultora Técnica da Katayama Alimentos.


Por ser uma excelente fonte de nutrientes e fazer parte do grupo de proteína animal, além de apresentar boa digestibilidade, o ovo pode ser consumido em todas as fases da gestação. A contraindicação é apenas para os casos de intolerância, alergia individual ou na gestante vegetariana estrita. De acordo com Dra. Milena, os dois componentes do ovo (clara e gema) se completam, e o ideal é consumir o ovo inteiro.


Os principais nutrientes em cada fase

Durante toda a gravidez é importante que a gestante consuma nutrientes através de uma alimentação saudável, como carboidratos, fósforo, proteínas, vitamina D, lipídeos, niacina, piridoxina, tiamina e vitamina A. Todos eles, contidos no ovo, contribuem para a formação adequada do feto e para a saúde da mãe e do bebê.


No segundo trimestre da gravidez, existem quatro nutrientes essenciais para uma gestação saudável:


1) a vitamina C, que aumenta a absorção do ferro, além de fortalecer o sistema imunológico e agir na formação do colágeno;


2) o magnésio, que auxilia na formação e crescimento dos tecidos no corpo, diminui o risco de pré-eclâmpsia e combate o cansaço e as cãibras;


3) a vitamina B6, ameniza os enjoos, previne a depressão pós-parto, além de favorecer o ganho de peso e crescimento do feto;


4) o ferro, fundamental na produção de hemoglobina, é responsável pela oxigenação do sangue e ainda ajuda a prevenir anemias.


Nutrientes essenciais

No terceiro e último trimestre da gestação, é fundamental que a mamãe consuma cálcio. Esse nutriente contribui para a formação óssea do bebê, ajuda no processo de coagulação do sangue, contribui para a boa manutenção da pressão sanguínea, dos batimentos cardíacos e das contrações musculares. “A falta de cálcio pode causar cáries, cãibras e unhas quebradiças. Mais uma dica: não se deve consumir cálcio e ferro ao mesmo tempo, pois um nutriente atrapalha a absorção do outro”, adverte a nutricionista.


Outro nutriente essencial durante a gravidez é o ômega 3, que atua diretamente na formação do cérebro e do sistema nervoso do bebê e diminui o risco de depressão pós-parto. O ovo também é rico em compostos bioativos, como luteína e zeaxantina, que participam como antioxidantes e auxiliam na saúde visual. Vale destacar ainda a colina, necessária para a divisão, crescimento e sinalização da membrana celular.


Já a vitamina D é fundamental para aumentar a imunidade materna, formação óssea do bebê e reduzir os riscos de pré-eclâmpsia, resistência à insulina e diabetes gestacional, parto prematuro, aborto, mortalidade neonatal, raquitismo e vaginose bacteriana. Por isso, é muito importante manter os níveis adequados sérico e de ingestão ao longo de todo o período gestacional por meio de uma alimentação adequada, exposição ao sol, e em alguns casos, com suplementação nutricional deste nutriente.


Recomendações e cuidados

Embora o ovo seja uma rica fonte de nutrientes para as mulheres grávidas, também apresenta riscos associados, especialmente se não for consumido corretamente. A indicação é consumir sempre ovo cozido para evitar a transmissão de bactérias, como a Salmonella spp., que pode estar no alimento cru (presentes em musses, maioneses, molhos) e mal cozido, levando a intoxicações alimentares graves.


Por fim, é aconselhado que a gestante busque um profissional nutricionista especializado para planejar uma dieta personalizada, de acordo com suas necessidades nutricionais e biológicas e visando o desenvolvimento perfeito do feto.


Acompanhe nosso instagram @katayamaalimentos